OOoCon2008 – Uma aventura na China – parte I

O OpenOffice.org Conference, ou OOoCon para os íntimos, é a conferência anual do OpenOffice.org que, pela primeira vez, ocorre fora da Europa, tendo como sede, nada mais, nada menos, que em Beijing, na China. É no OOoCon que encontramos os principais desenvolvedores do projeto, a grande maioria empregados da Sun, seguidos da Novell, IBM e Red Flag, esta última, uma (primeira e se não a única) empresa especializada em FLOSS do país, além de outros desenvolvedores independentes, e não só de código, mas também de comunidade e mercado. O evento propriamente dito ocorreu dos dias 5 a 7 de novembro, mas como de prache, no dia 4 ocorreram as reuniões dos times, ou como eles dizem “meetings”, do Conselho Geral, Marketing, Idioma Nativo, Interface, entre outros. Assim, a idéia é contar um pouco de todo o evento que, sem sombras de dúvidas, foi o maior já realizadoem seus 6 anos de vida.

A chegada em Beijing foi tranquila e tive a oportunidade de encontrar Nicolas, do time de UI (Interface do Usuário), que vinha da Alemanha e também ia para o mesmo hotel, o Beijing Friendship Hotel. Este foi o principal hotel onde todos os palestrantes estavam hospedados, ou melhor, em apenas um dos blocos (bloco 3), juntamente com muitos participantes.

As primeiras impressões da China é que tudo é MUUUITOOO grande e distante. Beijing é uma cidade gigante e qualquer “caminhada próxima” são seus 20-30 min. Como é uma cidade planejada, adotaram um esquema parecido ao de Brasília, com super quadras, onde existem dezenas de entradas para dentro destas quadras, onde se encontra a parte residencial da cidade. No exterior das quadras permanece o mercado local. Assim, a viagem do aeroporto até o hotel foi uma viagem de 1h. Beijing é uma metrópole como tantas outras, mas é possível ver uma curiosa mescla entre o velho e o novo, pois devido as melhorias exigidas pelo comitê olímpico para receber as Olimpíadas este ano, a cidade melhorou muita coisa, principalmente para o estrangeiro. A parte “velha” ou “normal”, ou seja, as partes que ainda não receberam as melhorias, me fez lembrar muito o Brasil (com a diferença q eles têm os olhos puxados). 😉 A diferença de fuso horário é algo brutal, sendo 7h de diferença com a Espanha, onde moro atualmente, e 11h em relação ao Brasil. Literalmente, estão do outro lado do mundo. No mais, se tiver um bom inglês (rasoável já vale) pode contar com uma estadia muito boa na cidade.

Ainda perdido com a diferença de fuso horário, encontrei mais um amigo alemão e, junto com Christopher, fomos a um antigo templo “ao lado” do hotel. Foram seus 30 min de caminhada por uma das avenidas da cidade. Para ter uma idéia, foram quase 2km andando para percorrer 3 ou 4 quadras, vendo todo o tipo de lojas, pessoas, trânsito e bicicletas…. como tem bicicletas em Beijing. O mais incrível é que o trânsito parece caótico, a buzina é um item indispensável para andar e não acontece acidentes. Brasil é complicado o trânsito, mas aqui é muito mais. Quando chegamos, já estava fechando e resolvemos tirar as fotos que foram possíveis, ver o que poderiamos comprar e voltamos, pois precisávamos descansar e tentar se ambientar às mudanças, pois no outro dia iniciaria as reuniões.

Chega terça-feira e vou para o café da manhã. Quando estava tentando entender o porque não era possível colocar o custo na minha diária (sim, o café é a parte lá, alias, eles NÃO TOMAM café, mas conto mais depois) Jesus Currios, amigo e coordenador do grupo catalão me viu e chamou para tomar café juntos. Foi o lugar mais estranho que já vi, pois além do pão, mexido de ovos e o café em si, o resto era uma incógnita do que era, pois os cheiros são extremamente diferentes dos outros lugares que já visitei. Ah! tinha frutas, e estas também eram conhecidas, como melão e melância.

No café também encontramos muitas outras pessoas conhecidas, entre elas, Sophie Gautier, líder da comunidade francofônica, Jaqueline e Andre Schnabel, do grupo alemão, onde entendemos que as reuniões só aconteceriam pela tarde, nas dependências da Sun Microsystems, e teríamos a manhã livre. Assim, fomos conhecer o Zoológico de Beijing, que sem dúvidas é um excelente passeio para quem visitar a cidade, desde que dedique um dia inteiro para este fim e relativamente corrido para ver tudo. Quando vimos, eram 13h e precisávamos ir embora. Ao sair, vemos um terminal de ônibus do outro lado da avenida (com 5 pistas para cada mão) na base de que parecia ser um shopping popular. Como procurávamos algum lugar para comer, resolvemos ir até lá. Ao chegar, vimos o que era na verdade: um shopping chinês com uns 200m de largura por mais uns 50 de profundidade, com 5 andares de lojas. Para quem já foi num shopping chinês na Rua 25 de Março, em São Paulo, multiplique por 4. Em resumo, o sonho de consumo de qualquer mulher (fiquei pensando na minha) 😉 pois tem absolutamente de tudo em roupas, calçados, bolsas e maquiagem, e com preços extremamente atrativos, principalmente para quem tem a (incrível !!!) habilidade de negociar preço. Depois de achar um cinto para o Jesus, fomos para a sede da Sun Microsystem, no mesmo lado da cidade. E lá se foram mais 50 min de taxi com um bom trânsito. Ao chegar na Sun, tivemos alguma dificuldade para achar o local, já que o escritório ficava dentro de um conjunto comercial muito sofisticado, no meio de muitas outras empresas de tecnologia locais e internacionais, como o Google. Ao final, conseguimos chegar até a reunião do Conselho, e descobrimos o local e horário das demais reuniões do dia.

Este ano, devido às dificuldades de uma viagem à China, como custos de viagem e vistos, muita gente do núcleo não pôde ir, de forma que pessoas como Charles-H. Schulz, Jonh McCreesh e Florian Effenberger, talvez diminuindo um pouco a qualidade das reuniões. Assim, iniciamos a de Marketing e Native Language, as que participei, onde foi abordado as ações de marketing em alguns lugares e comunidades como meio de fortalecer o projeto, respectivamente.

Na reunião de Marketing, Ítalo Vignoli, da Itália, repassou rapidamente os pontos que estão no *wiki do projeto* e comentou que os blogs dele e outro colega de seu país estão sendo monitorados pela M$, que iniciou uma campanha mais agressiva na Europa a respeito do M$ Office 2007. Comentei a respeito do nosso trabalho e sobre como estamos sentindo a pressão, que para mim é mínima por parte de ferramenta de escritório. Louis Suarez-Potts, gerente geral de comunidades do OOo, comentou que precisamos aumentar a comunicação entre os pontos, buscando entender as ações que estão dando certo em outros países, tal como no Brasil, e adaptar para a realidade de outros países. Neste momento, já achei muito gratificante todo o trabalho que temos feito e de ver que estamos num caminho acertado.

Já na reunião de idioma nativo, as questões foram mais duras, como o de porquê não temos tanta contribuição como poderíamos ter em muitos países, ou de ter pouca penetração em outros, entre outras questões. Neste ponto, de novo o exemplo do Brasil foi utilizado, mas desta vez de maneira intensiva. Louis comentou a respeito dos nossos trabalhos através de redes sociais (os gubros), da nossa revista, da relação Comunidade – Governo através da OSCIP BrOffice.org – Projeto Brasil, sobre os modelos de relação institucional, nossa forma de se relacionar com outras comunidades como o exemplo da Galícia, através do trabalho com os galegos para produzir a revista para a gente daquela região, entre outras coisas. No entanto, reforçou nossas dificuldades de comunicação, de fazer as informações circularem e sobre como no fim acabam se tornando ilhas. Outra coisa que achei *muito importante* foi o fato de COMO fazer este trabalho. Trabalhar em comunidade, acima de tudo, tem que ser DIVERTIDO! (/Be fun!/) 😀

Tirando a parte do “puxão de orelhas” pela dificil comunicação que temos, me senti muito orgulhoso por todo este trabalho que, junto com muitos de vocês que estão lendo este artigo agora e que ajudam o BrOffice.org de alguma forma em um de seus tantos projetos, está nos permitindo mudar o nosso país e servindo de modelo para outros. Da minha parte, sei que tenho ainda mais trabalho por fazer, mas deixo este convite para que você também participe da nossa comunidade.

Por hoje, chegou ao fim do primeiro dia e vamos dormir. 😉

De que é feito o BrOffice.org?

As pessoas sempre perguntam de que é feito o BrOffice.org, de que linguagens os desenvolvedores fazem uso, quantos arquivos, entre outros. Recentemente, o Roberto postou uma notícia sobre números do OpenOffice.org, comentando que “são mais de 10.000.000 (dez milhões) de linhas de código que levam aproximadamente 9 horas para serem compiladas!” (isso porque ele não tentou no windows!! 😉

Na máquina windows que temos, já são suas 26h sem esperança de acabar. Na página sobre compilação do Pavel, achei o tempo de 25:14:32 (fico imaginando que máquina seria!). Agora, estes são outros números q impressionam também, válidos para o 2.1.0.

SLOC Directory SLOC-by-Language (Sorted)
935464 binfilter cpp=935191,awk=256,asm=10,perl=7
555017 sw cpp=554276,ansic=505,java=192,awk=44
401564 boost cpp=376763,ansic=13699,python=7629,sh=2235,yacc=639, perl=351,pascal=139,lex=103,csh=6
384604 svx cpp=384545,sh=49,asm=10
374815 sc cpp=372581,java=1269,lisp=804,perl=161
372909 i18npool cpp=346156,ansic=26280,awk=473
282714 icu cpp=156501,ansic=118844,perl=3790,sh=3563,sed=13, lisp=3
203611 vcl cpp=203050,java=544,asm=17
173954 svtools cpp=173727,ansic=227
161535 sd cpp=161272,perl=184,php=79
160993 libxml2 ansic=141855,python=10608,sh=8097,php=366,perl=67
121821 xmloff cpp=121821
119111 qadevOOo java=119111
112154 sal cpp=69909,ansic=39083,perl=2910,asm=220,csh=20,sh=12
107811 offuh cpp=107811
104239 dbaccess cpp=102836,java=1403
98185 connectivity cpp=92105,yacc=2875,java=2436,lex=769
97061 sfx2 cpp=96470,java=591
93066 framework cpp=88613,java=4453
66038 extensions cpp=65137,java=872,perl=29
56912 configmgr cpp=56099,java=764,sh=49
56561 xmerge java=49191,perl=4503,cpp=1726,sh=1141
56319 sch cpp=56319
53384 ucb cpp=52206,java=1160,python=18
51275 odk java=41063,cpp=6402,cs=1580,perl=861,ansic=508, pascal=407,sh=261,csh=193
49670 tools cpp=47785,ansic=1885
46939 goodies cpp=46939
45380 basic cpp=45244,asm=136
45270 bridges cpp=38291,java=5645,asm=1026,ansic=308
44990 solver ansic=43701,perl=1280,sh=9
40958 chart2 cpp=40326,java=524,perl=108
39714 solenv perl=36455,sh=2970,ansic=223,awk=66
38862 autodoc cpp=38862
37959 wizards java=37959
37914 toolkit cpp=30576,java=7338
37394 agg cpp=37394
35312 forms cpp=31940,java=3372
33374 stoc cpp=32495,ansic=756,java=123
32253 lingucomponent cpp=30246,ansic=1870,perl=137
29531 scripting java=20327,cpp=8210,python=994
27399 dmake ansic=20496,sh=6090,asm=759,awk=54
25916 filter cpp=20399,java=5148,python=369
25484 desktop cpp=24812,sh=404,ansic=268
23861 starmath cpp=23861
23341 package cpp=14897,java=8444
22523 stlport cpp=18443,ansic=3671,sh=261,asm=90,perl=58
21908 slideshow cpp=21311,perl=578,sh=19
20379 canvas cpp=16354,java=4025
20212 xmlsecurity cpp=17144,java=3068
19222 so3 cpp=19222
18987 psprint cpp=14229,ansic=4758
18870 codemaker cpp=18291,java=579
18845 cppuhelper cpp=18341,java=243,perl=188,ansic=73
18613 basctl cpp=18613
16881 XmlSearch java=16881
16251 rsc cpp=11729,ansic=3588,yacc=934
16183 hwpfilter cpp=16183
15878 idlc cpp=9748,ansic=3355,yacc=2775
15245 automation cpp=15165,perl=80
14972 comphelper cpp=14909,ansic=63
14382 cppu cpp=12614,ansic=1768
13675 embeddedobj cpp=11466,java=2101,ansic=108
13646 basegfx cpp=13599,ansic=47
13460 fpicker cpp=13460
13266 xmlhelp cpp=8236,java=5030
12826 unotools cpp=12826
12264 dtrans cpp=12264
11616 registry cpp=11193,ansic=423
11418 ucbhelper cpp=11376,ansic=42
11401 sot cpp=11401
11205 transex3 cpp=10384,lex=759,ansic=62
10647 soltools ansic=6857,cpp=2786,lex=938,perl=65,sh=1
10590 shell cpp=9888,sh=552,ansic=150
10535 expat ansic=10535
10174 linguistic cpp=9912,java=262
9860 zlib ansic=7882,asm=712,cpp=560,pascal=536,sh=170
9741 external ansic=8752,python=652,yacc=244,sh=93
9505 jurt java=9078,ansic=427
8996 testtools cpp=5033,cs=1950,java=1453,python=560
8634 xmlscript cpp=8634
8482 accessibility java=8255,cpp=227
8065 idl cpp=8065
7965 javaunohelper java=7399,cpp=566
7276 io cpp=7276
6873 store cpp=6831,ansic=42
6830 testshl2 cpp=6007,java=780,csh=43
6739 cppcanvas cpp=6739
6315 cli_ure cs=3064,cpp=2866,perl=265,java=120
5946 jvmfwk cpp=5807,ansic=84,java=55
5695 setup_native cpp=4844,sh=705,ansic=112,perl=34
5552 regexp ansic=3850,cpp=1702
5144 unodevtools cpp=5144
4830 avmedia cpp=3568,java=1262
4774 config_office perl=4345,cpp=427,sh=2
4659 scaddins cpp=4659
4580 embedserv cpp=4580
4573 pyuno cpp=3726,python=760,sh=59,csh=16,ansic=12
4348 sax cpp=4306,ansic=42
4197 padmin cpp=4197
4075 basebmp cpp=4075
3932 i18nutil cpp=3863,ansic=69
3867 crashrep cpp=3853,sh=14
3813 bean java=3554,ansic=259
3641 unoxml cpp=3641
3335 xml2cmp cpp=3335
3074 uui cpp=3074
2985 UnoControls cpp=2985
2810 np_sdk ansic=2621,cpp=189
2548 cosv cpp=2548
2547 ridljar java=2547
2490 vos cpp=2448,ansic=42
2407 sandbox java=2407
2325 sj2 java=1621,cpp=704
2275 unixODBC ansic=2275
2158 rdbmaker cpp=2158
2038 cpputools cpp=1952,sh=86
2006 smoketestoo_native perl=1448,java=343,cpp=215
1909 remotebridges cpp=1909
1901 animations cpp=1901
1721 writerperfect cpp=1721
1515 udm cpp=1515
1489 sysui cpp=739,perl=498,sh=205,ansic=43,sed=4
1390 twain ansic=1390
1041 officecfg java=1040,sed=1
830 jut java=830
740 fileaccess cpp=740
677 eventattacher cpp=677
657 helpcontent2 perl=657
639 postprocess perl=639
617 x11_extensions ansic=617
582 jvmaccess cpp=484,java=56,ansic=42
545 ure cpp=381,java=157,sh=7
535 salhelper cpp=493,ansic=42
480 libegg ansic=480
296 o3tl cpp=254,ansic=42
267 top_dir sh=267
259 scp2 perl=259
173 sane ansic=173
167 offapi perl=165,sed=2
103 sdk_oo perl=103
76 readlicense_oo perl=76
65 dictionaries perl=65
25 ooo_custom_images php=25
3 instsetoo_native sh=3
0 beanshell (none)
0 berkeleydb (none)
0 bitstream_vera_fonts (none)
0 curl (none)
0 default_images (none)
0 epm (none)
0 external_images (none)
0 extras (none)
0 fondu (none)
0 freetype (none)
0 hsqldb (none)
0 jpeg (none)
0 libwpd (none)
0 libxmlsec (none)
0 MathMLDTD (none)
0 moz (none)
0 msfontextract (none)
0 nas (none)
0 neon (none)
0 netbeans_integration (none)
0 portaudio (none)
0 psprint_config (none)
0 python (none)
0 rhino (none)
0 rvpapi (none)
0 sablot (none)
0 sndfile (none)
0 udkapi (none)
0 unoil (none)
0 vigra (none)
0 xalan (none)
Totals grouped by language (dominant language first):
cpp: 5616498 (84.98%)
ansic: 475306 (7.19%)
java: 385075 (5.83%)
perl: 60366 (0.91%)
sh: 27324 (0.41%)
python: 21590 (0.33%)
yacc: 7467 (0.11%)
cs: 6594 (0.10%)
asm: 2980 (0.05%)
lex: 2569 (0.04%)
pascal: 1082 (0.02%)
awk: 893 (0.01%)
lisp: 807 (0.01%)
php: 470 (0.01%)
csh: 278 (0.00%)
sed: 20 (0.00%)

Total Physical Source Lines of Code (SLOC) = 6,609,319
Development Effort Estimate, Person-Years (Person-Months) = 2,052.08 (24,624.97)
(Basic COCOMO model, Person-Months = 2.4 * (KSLOC**1.05))
Schedule Estimate, Years (Months) = 9.72 (116.59)
(Basic COCOMO model, Months = 2.5 * (person-months**0.38))
Estimated Average Number of Developers (Effort/Schedule) = 211.21
Total Estimated Cost to Develop = $ 277,208,264
(average salary = $56,286/year, overhead = 2.40).
SLOCCount, Copyright (C) 2001-2004 David A. Wheeler
SLOCCount is Open Source Software/Free Software, licensed under the GNU GPL.
SLOCCount comes with ABSOLUTELY NO WARRANTY, and you are welcome to
redistribute it under certain conditions as specified by the GNU GPL license;
see the documentation for details.
Please credit this data as “generated using David A. Wheeler’s ‘SLOCCount’.”

Memória da Cerimônia de Entrega do Prêmio Vôo Livre

O Projeto de Documentação recupera um dos momentos marcantes da trajetória do projeto BrOffice.org. No dia 5 de novembro de 2006, durante a seção de encerramento do CONISLI 2006 – Congresso Internacional de Software Livre, no Palácio de Convenções do Anhembi em São Paulo, foi realizada a cerimônia de entrega do Prêmio Vôo Livre, destinado a reconhecer a fundamental importância do apoio de pessoas e instituições durante a trajetória de crescimento do projeto.

Prêmio Vôo Livre
Prêmio Vôo Livre
 

O prêmio Vôo Livre foi idealizado em setembro de 2006. A partir da proposta inicial de Claudio Ferreira Filho, coordenador geral do projeto e presidente da ONG BrOffice.org, e de Sincero Zeferino Filho, sócio da ONG BrOffice.org e criador artístico do prêmio, seis nomes foram escolhidos para receber a premiação, além da homenagem especial a outros três colaboradores fundamentais do projeto.

Foram agraciados com o Prêmio Vôo Livre:
David Emmerich Jourdain – FAMEG;
Gustavo Celso Mazzariol – Metrô-SP;
Marco Aurelio Visintin – POP-PR/RNP;
Marcos Vinícius Ferreira Mazoni -CELEPAR;
Rubens Queiroz de Almeida – UNICAMP;
Sérgio Amadeu – Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero.

Receberam a homenagem especial:
Olga Yamadera – Metrô-SP;
Carlos Cecconi – ONG Rede Livre;
Carlos Menezes – Projeto CoGrOO.

Texto do cerimonial de entrega do Prêmio Vôo Livre

Em 2002, uma comunidade de voluntários se formou com a missão de adaptar o OpenOffice.org para o português brasileiro, sob a denominação OpenOffice.org.br.

A partir de então, além da tradução, o projeto OpenOffice.org.br passou a organizar e desenvolver funcionalidades específicas para a versão brasileira do pacote. Foram criadas as listas de discussão, o projeto de Documentação, o Rau-tu, o projeto Extras e finalizadas as traduções das aplicações e da ajuda do software, entre outras atividades.

O período coincide, também, com a organização de comunidades de Software Livre espalhadas por todo o Brasil. Pela sua popularidade e organização, o projeto OpenOffice.org.br passou a ser uma das referências dentro do cenário do Software Livre brasileiro, disseminando a utilização do pacote de aplicativos, para usuários, empresas, entidades governamentais e organizações em geral.

No dia 25 de janeiro de 2006, foi anunciado oficialmente o lançamento da ONG BrOffice.org, que passou a organizar as atividades da comunidade OpenOffice.org.br. Apesar da mudança de nome, o BrOffice.org continuou representando o OpenOffice.org, com a garantia de todos os instrumentos jurídicos de proteção à marca BrOffice.org. A missão definida para a ONG alinhou-se às atividades da comunidade já em curso e inclui apoiar e desenvolver ações para fomentar a comunidade brasileira do BrOffice.org e seus projetos relacionados. Entre os objetivos da ONG BrOffice.org incluem-se a difusão do Software Livre e de Código Aberto, a sustentação do projeto BrOffice.org e a promoção do voluntariado.

Com o objetivo de demonstrar o agradecimento do Projeto BrOffice.org às pessoas e instituições que colaboraram decisivamente para a estruturação e divulgação do projeto durante os seus quatro anos de existência, nasceu o Prêmio Vôo Livre.

A criação artística do prêmio foi responsabilidade de Sincero Zeferino Filho, coordenador do projeto Escritório Aberto do BrOffice.org.

Antes da entrega do Prêmio Vôo Livre, faremos um agradecimento especial a pessoas que tiveram papel de destaque na colaboração para o BrOffice.org.

Iniciando a premiação dos agradecimentos especiais, chamamos Sandra Barros Martins, sócia-fundadora da ONG BrOffice.org para entregar a homenagem especial a Olga Yamadera, coordenadora da área de atendimento da Companhia do Metropolitando de São Paulo.

Olga Yamadera e Sandra Barros
Olga Yamadera e Sandra Barros

Para entregar a segunda homenagem, chamamos Leonardo César, representando o projeto PostgreSQL BR e os demais projetos amigos do BrOffice.org, que entregará a placa de agradecimento para Carlos Menezes, coordenador do Projeto do corretor gramatical CoGrOO.

Também é homenageado Carlos Cecconi, secretário da ONG Rede Livre de Compartilhamento da Cultura Digital, a quem saudamos com uma salva de palmas.

A seguir, daremos início a entrega do Prêmio Vôo Livre.

Para a entrega do Prêmio Vôo Livre ao primeiro homenageado, chamamos Roberto Salomon, sócio-fundador da ONG BrOffice.org e coordenador do projeto de tradução do BrOffice.org.

Roberto entregará o prêmio para David Emmerich Jourdain, Diretor de Tecnologia da Faculdade Metropolitana de Guaramim – FAMEG.

Chamamos, agora, Júlio Neves, que entregará o prêmio ao segundo homenageado Gustavo Celso Mazzariol, Gerente de Tecnologia da Informação da Companhia do Metropolitano de São Paulo.

Gustavo Mazzariol e Júlio Neves
Gustavo Mazzariol e Júlio Neves
Convidamos Ralf Braga, da organização da quarta edição do Congresso Internacional de Software Livre – CONISLI, para a entrega do terceiro prêmio para Marco Aurelio Visintin, coordenador do POP-PR/RNP.

Ralf Braga e Marco Aurelio Visintin
Ralf Braga e Marco Aurelio Visintin
 

Representando os projetos de Inclusão Digital amigos do BrOffice.org, chamamos, para entregar o quarto prêmio Vôo Livre, Beá Tibiriça, da ONG Coletivo Digital, que entregará o prêmio para Marcos Vinícius Ferreira Mazoni, Presidente da CELEPAR – Companhia de Informática do Paraná, representado, nesta ocasião, por Julian Fagotti, Assessor de Assuntos Institucionais da CELEPAR.

Julian Fagotti e Beá Tibiriça
Julian Fagotti e Beá Tibiriça

Para a entrega do quinto prêmio, chamamos Sincero Zeferino Filho, criado artístico do Prêmio Vôo Livre e coordenador do projeto Escritório Aberto do BrOffice.org, que entregará a premiação para Rubens Queiroz de Almeida, Diretor da Divisão de Serviços à Comunidade do Centro de Computação da UNICAMP.

Rubens Queiroz e Sincero Zeferino
Rubens Queiroz e Sincero Zeferino
 

Para a entrega do sexto e último prêmio Vôo Livre, convidamos Hugo Cisneiros, do Projeto Fedora Brasil, que entregará o prêmio para Sérgio Amadeu da Silveira, professor de pós-graduação da Faculdade de Comunicação Social Cásper Líbero.

Agradecendo a todos os participantes, premiados e homenageados e a organização da quarta edição do Congresso Internacional Software Livre – CONISLI, passo a palavra para o coordenador geral do Projeto OpenOffice.org no Brasil e presidente da ONG BrOffice.org, Claudio Ferreira Filho.

Após a entrega do Prêmio Vôo Livre, Claudio Ferreira Filho, visivelmente emocionado, agradeceu o apoio ao projeto BrOffice.org, relatando a importância e a contribuição de cada um dos premiados. Fazendo uma retrospectiva dos desafios enfrentados, Claudio destacou a força do trabalho colaborativo e o valor de cada pequena contribuição ao projeto. Agradecendo à organização do CONISLI 2006 e a todos os presentes, Claudio encerrou a cerimônia de entrega da primeira edição do Prêmio Vôo Livre.

Claudio Ferreira Filho - presidente da ONG BrOffice.org
Claudio Ferreira Filho – presidente da ONG BrOffice.org
 

Sincero Zeferino Filho - criador artístico do Prêmio Vôo Livre
Sincero Zeferino Filho – criador artístico do Prêmio Vôo Livre
 

Equipe BrOffice.org no Conisli: Sincero, Fábio, Marcus, Claudio, Olivier e Salomon
Equipe BrOffice.org no Conisli: Sincero, Fábio, Marcus, Claudio, Olivier e Salomon
Cerimônia de entrega do Prêmio Vôo Livre:
Coordenação: Claudio Ferreira Filho
Criação Artística: Sincero Zeferino Filho
Equipe São Paulo: Sandra Barros, Tânia Teruel, Olivier Hallot
Cerimonial: Gustavo Pacheco, Roberto Salomon
Apresentação: Gustavo Pacheco
Fotos e Filmagem: Sandra Barros, Marcus Diogo da Silva

Quadro societário da ONG BrOffice.org Projeto Brasil em novembro de 2006:
Claudio Ferreira Filho – Presidente
Olivier Hallot – Diretor Financeiro
Sandra Regina Barros – sócia-fundadora
Tânia Vasconcellos Teruel – sócia-fundadora
Gustavo Buzzatti Pacheco – sócio-fundador
Roberto Salomon – sócio-fundador
Murillo Lamas – sócio-fundador
Sincero Zeferino Filho – sócio
Marcus de Vasconcelos Diogo da Silva – sócio

Informática Básica com Software Livre

Atenção Coordenadores de Projeto!

Durante o evento comunitário do Projeto BrOffice.org realizado no 7° Fórum Internacional Software Livre, em Porto Alegre, lançamos o material de Informática Básica com Software Livre, composto por manual do aluno, manual do professor e planos de atividades de aula. O objetivo é atender à demanda por material didático no ensino de informática para usuários iniciantes, principalmente em projetos de Inclusão Digital.

Com o anúncio, pretendemos, também, viabilizar o apoio de organizações e da comunidade em geral para que tenhamos a sustentabilidade necessária para continuar o desenvolvimento do material. Dentro do projeto BrOffice.org, por exemplo, temos o conhecimento completo para a estruturação de projetos com foco em novos usuários, o que permite adaptar a solução didática para as mais diferentes realidades.

O primeiro projeto a utilizar o material didádico é o projeto de Inclusão Digital desenvolvido pela empresa de transportes Soul, em Alvorada, na região metropolitana de Porto Alegre. O laboratório de inclusão digital da Soul foi totalmente estruturado com Software Livre e idealizado para a capacitação tanto dos colaboradores da empresa quando da comunidade carente do município. Até o final de 2006, está prevista a capacitação de mais de 350 jovens carentes.

O material está sendo disponibilizado para uso não comercial em formato aberto através do licenciamento Creative Commons.

Entre em contato conosco e junte-se a nós!

Coordenador: Gustavo Buzzatti Pacheco

Projetos que utilizam o material

Escola de Informática e Cidadania de Grossos – Prefeitura Municipal de Grossos (Grossos/RN)

PROID – Projeto de Inclusão Digital – ACOSPROM – Associação Comunitária e Social Pró-Melhoramentos do Parque São João (Contagem/MG)

Projeto Puraqué – Software Livre e Cidadania na Amazônia – INDIA – Inclusão Digital da Amazônia (Santarém/PA)

Escola de Informática e Cidadania de Tibau – Colégio e Curso Santos Dumont (Timbau/RN)

Projeto Inclusão Digital – Soul Transportes (Alvorada/RS)

Casa Brasil – Telecentro de Inclusão Digital – Casa da Cultura da Baixada Fluminense (Mesquita/RJ)

Casa Brasil – Rits (Embu/SP)

DOS/Diadema Open Source – Escola Evandro Caiafa Esquível (Diadema/SP)

Inclusão Digital Comunitária de Jovens e Adultos da Região Norte – Centro de Formação Profissional Don Berna (Belo Horizonte/MG)

Inclusão Digital – ONG Transmissão da Cidadania e Saber/Eletrosul Centrais Elétricas/Regional de Manutenção do Paraná (Curitiba/PR)

Orégano – Difusão do Conhecimento de Informática – Universidade Estadual de Maringá (Maringá/PR)

Casativa – Centro de Ações Sociais – Casativa – Centro de Ações Sociais (Osasco/SP)

Telecentro de São Bento do Sul – Prefeitura Municipal de São Bento do Sul (São Bento do Sul/SC)

Conexão Inclusão Digital – Conexão ONG (Curitiba/PR)

InfoCurso Maria de Nazaré – Comunidade de Aliança Maria de Nazaré (São Paulo/SP)

Projeto UNIOESTE / Guarda Mirim de Cascavel – Universidade Estadual do Oeste do Paraná Cascavel/PR)

Portal da Comunidade – Secretaria Especial de Relações com a Comunidade (Curitiba/PR)

Laboratório de Informática Educativa – EMEIF José de Alencar (Fortaleza/CE)

Prefeitura de Silva Jardim/RJ

TID – Telecentros pela Inclusão Digital – ONG Coletivo Digital (São Paulo/SP)

Laboratório de Inclusão Digital (Cruz Alta/RS)

Prefeitura Municipal de Arapiraca (Arapiraca/AL)

Observatório Nacional de Inclusão Digital (Brasília/DF)

Distribuição de pessoas formadas com o material de Informática Básica com Software Livre do projeto BrOffice.org até o final do ano de 2006.

Organizações patrocinadoras da primeira versão

Soul
ProDesk

Organizações que apóiam o projeto

Associação SoftwareLivre.org
Fórum Internacional Software Livre
Software Libre Argentina

Downloads

Manual do Aluno

Manual do Aluno (formato ODT)

Manual do Aluno (formato PDF)

Manual do Aluno – Versão Mandriva Linux 2006 (formato ODT)

Manual do Aluno – Versão Ubuntu (formato ODT)

Manual do Aluno – Versão Kubuntu (formato ODT)

Manual do Instrutor

Manual do Instrutor (formato ODT)

Manual do Instrutor (formato PDF)

Manual do Instrutor – Versão Ubuntu (formato ODT)

Manual do Instrutor – Versão Kubuntu (formato ODT)

Manual do Instrutor – Versão em espanhol (formato ODT)

Manual do Instrutor – Versão em espanhol para Ubuntu (formato ODT)

Plano de Atividades

Planos de Atividades (formato ODS)

Sobre segurança, “BadBunny” e Macros

Há um comentário recente da imprensa sobre o “vírus” SB/BadBunny-A que afetaria a suíte OpenOffice.org, relatado pela companhia Sophos, que comercializa soluções anti-vírus.

A prática mais elegante da Sophos seria se a companhia relatasse o vírus diretamente à equipe da segurança do OpenOffice.org antes de fazer pública essa informação. Infelizmente isto não aconteceu neste caso. O projeto OpenOffice.org emitirá uma análise detalhada desse “vírus”, uma vez que uma cópia do vírus foi recebida. Entretanto, devido ao volume do interesse nos meios, a comunidade gostaria de emitir os seguintes comentários, baseados nas informações disponíveis:

Macros são ferramentas muito úteis de qualquer suíte de escritório, permitindo que os usuários automatizem tarefas repetitivas, facilitando o dia-a-dia no trabalho. Estas tarefas incluem ações destrutivas em potencial, tais como modificar e deletar arquivos, sendo assim as macros do interesse aos criadores de vírus.

É possível em qualquer linguagem de macro, incluindo a usada no OpenOffice.org, escrever simples programas ‘virus-like’. Atualmente, a comunidade OpenOffice.org segue a melhor prática da indústria para reduzir esse risco.

Se o software detectar macros em um arquivo que está sendo aberto, por padrão é disparado um aviso e essa macro funcionará somente se o usuário permitir seu funcionamento. É essencial verificar a origem e a autenticidade de qualquer arquivo que contenha macros, antes de permitir sua execução.

Os engenheiros do OpenOffice.org levam muito a sério as questões de segurança, e reagirão prontamente a todas as novas versões do programa.

De acordo com as informações atualmente disponíveis, é improvável que este vírus contenha quaisquer características que requeiram uma correção do software, ou a distribuição de um pacote de segurança.

Entretanto, a comunidade de OpenOffice.org repete a mensagem dos peritos em segurança, que os usuários nunca devem aceitar e executar arquivos de origem desconhecida. Para questões de segurança, visite a página da equipe da segurança do projeto OpenOffice.org.

Tradução livre de Marconi Pires

Fonte: openoffice.org

* Notícia indicada por Rubens Queiroz

Projeto Clipping

O QUE É O CLIPPING?

Projeto Clipping?Imagine que o portal BrOffice.org não existisse, e que quando você desejasse saber das últimas notícias sobre o produto, você tivesse que sair vasculhando pela internet a procura de informações?!?!

O Clipping é exatamente isso! A gente faz o trabalho duro pra manter você sempre bem informado em relação ao BrOffice.org!

O Clipping é mais um projeto consolidado no fértil solo de 2007, que visa organizar os esforços de coleta de informações, notícias e matérias da mídia nacional e internacional, e organizar, classificar e compilar essas informações na forma de notícias no portal. Além disto, ainda organizamos o envio do resumo semanal das notícias através da Newsletter BNS, e sumário para a Revista BrOffice.org.

OBJETIVO

Seu objetivo é fornecer novas alternativas aos nossos usuários e desenvolvedores para um canal de informações sobre a evolução do produto, comunidade e instituição. Com o advento do clipping abrangendo uma área maior, reforça a nossa posição de ponto de referência sobre OpenOffice.org, BrOffice.org, ODF, entre outros assuntos relevantes.

BNS – O JORNAL ELETRÔNICO SEMANAL

Assine a BNSO projeto que de fato estimulou o clipping, a BNS – BrOffice.org Notícias semanais – consiste em um resumo semanal das notícias do portal, enviadas por e-mail através de uma lista, com links diretos para o portal com as matérias completas e suas fontes. Feita em texto puro, leve, que não entope a caixa de entrada do assinante.
Inscreva-se e receba gratuitamente!

COMO COLABORAR?

Agora você já pode colaborar conosco enviando notícias relacionadas ao BrOffice.org, OpenOffice.org internacional, ODF, projetos sociais, cursos e tudo mais relacionado ao projeto.

Basta acessar o “Contato”, no menu principal no topo da página, preencher com seu nome e e-mail, título e corpo da matéria e nos enviar para avaliação.

É muito importante colocar também a fonte da matéria que nos indicou. Nós lemos e avaliamos todas elas, mas não garantimos que todas sejam publicadas, pois pode acontecer de algum texto estar protegido por direitos autorais, ou ele já tiver sido publicado anteriormente.

Toda ajuda será bem vinda! Faça parte também do quadro de colaboradores do BrOffice.org – Projeto Brasil!

VISÃO GERAL

Dessa forma então, até ser publicada no portal, a notícia passa por uma série de análises, a saber:

  1. A noticia é informada via e-mail ou garimpada na internet e outros veículos de informação;
  2. Depois de enviada para o portal, a notícia é corrigida e revisada pela equipe de clipping;
  3. A notícia é publicada automaticamente depois que é moderada pelo coordenador do clipping.

Lágrimas de Crocodilo

No último dia 14 de fevereiro, a Microsoft publicou uma carta aberta reclamando da forma como a empresa vem sendo tratada no seu esforço de promover a interoperabilidade tão solicitada por todos.

Afinal, se a adoção de padrões é uma coisa tão boa, porque tanta reação contra a proposta da Microsoft? E mais, porque a Microsoft tenta, a qualquer custo, ganhar a simpatia de todos?

A verdade encontra-se nos números.

O modelo de negócios da Microsoft é baseado na venda e substituição de produtos. Para este modelo se sustentar é necessário conquistar novos clientes e fazer com que os atuais comprem novos produtos em substituição aos anteriores. É por este motivo que há tanto estardalhaço quando é lançada uma nova versão de qualquer produto Microsoft. É preciso convencer você, o consumidor, a comprar a nova versão. Mesmo que a atual que é usada a tanto tempo atenda plenamente as suas necessidades.

Para manter esta clientela cativa, necessária para manter o modelo de negócios, criou-se uma forma engenhosa de “aprisionamento” não através do software mas do arquivo de saída. Hoje temos uma base imensa de arquivos gerados pelo MS-Office que somente o próprio MS-Office consegue exibir com fidelidade. (Sim, temos avançado bastante neste quesito com o BrOffice.org mas mesmo assim, sempre há alguma coisa que algum usuário usa que não conseguimos tratar adequadamente). Migrar esta base para qualquer outra plataforma representa um custo para os atuais clientes da Microsoft. Um custo que foi criado, artificialmente, pelo próprio modelo de negócios usado por aquela empresa.

Até hoje, este modelo tem resultado em sucesso. Apesar de menor que nos anos anteriores, o faturamento da divisão Information Worker, da Microsoft, onde o MS-Office é produzido, foi de 11 bilhões (isso mesmo bilhões) de Dólares em 2005.

Decididamente, é um mercado que ninguém gostaria de perder.

E é aqui que está o problema. Ao propor uma especificação desnecessariamente complexa, que afronta o bom senso e muitos padrões internacionais estabelecidos (veja a questão do calendário sobre a qual já escrevi) e que somente ela conseguiria implementar em sua totalidade, a Microsoft, mais uma vez, tenta preservar o seu modelo de negócios. A conseqüência disso é que, mais uma vez, migrar para qualquer plataforma não Microsoft após a adoção do Office Open XML será um processo caro e demorado.

Para manter o modelo, é necessário que a empresa passe a se comportar de forma exemplar: promovendo a interoperabilidade, promovendo padrões, realizando parcerias com distribuidores de Software Livre. A lista de ações que a Microsoft vem adotando é bastante extensa.

Não se iludam. Apesar de todo o aparente bom-mocismo, a Microsoft continua defendendo o seu ganha-pão. A especificação Office Open XML se destina exclusivamente a manter cativa uma clientela que já começa a dar sinais que não vai continuar a aceitar esta imposição por muito mais tempo. E por isso a Microsoft tenta passar uma aura de cidadania empresarial ao tentar forçar a sua especificação como um “padrão”.

O ODF representa hoje uma ameaça ao modelo de negócios da Microsoft. Ao permitir que um padrão seja utilizado de forma transparente por qualquer aplicação, com total fidelidade de formato pois toda a especificação é publicada, o padrão ODF/ISO 26300 assegura ao usuário o direito de escolher qual o melhor software para as suas necessidades. O ODF permite que você escolha o software assegurando assim a sua liberdade.

A questão Open XML e ODF é muito maior que uma mera disputa comercial, como a Microsoft quer que acreditemos. É uma questão que fala diretamente à nossa cidadania e ao nosso direito de escolha.

Não se iluda com as lágrimas do crocodilo, ele chora ao devorar suas vítimas por mera coincidência fisiológica.

ESTATUTO SOCIAL da ONG BrOffice.org – Projeto Brasil

ESTATUTO SOCIAL – BrOffice.org Projeto Brasil

Índice

CAPÍTULO PRIMEIRO – Nome e Natureza Jurídica

CAPÍTULO SEGUNDO – Da Sede

CAPÍTULO TERCEIRO – Dos Objetivos

CAPÍTULO QUARTO – Dos Associados, Seus Direitos e Deveres

CAPÍTULO QUINTO – Da Assembleia Geral

CAPÍTULO SEXTO – Da Administração

CAPÍTULO SÉTIMO – Do Conselho de Administração

CAPÍTULO OITAVO – Do Conselho Fiscal

CAPÍTULO NONO – Do Patrimônio

CAPÍTULO DÉCIMO – Do Regime Financeiro

CAPÍTULO DÉCIMO PRIMEIRO – Da Qualificação da BrOffice.org como OSCIP

CAPÍTULO DÉCIMO SEGUNDO – Das Disposições Gerais

CAPÍTULO PRIMEIRO

Nome e Natureza Jurídica

  1. Sob a denominação de BrOffice.org Projeto Brasil, ou pela forma abreviada BrOffice.org fica instituída esta associação civil sem fins lucrativos, e que se regerá por este ESTATUTO e pelas normas legais pertinentes.

CAPÍTULO SEGUNDO

Da Sede

  1. A BrOffice.org terá sua sede e foro na cidade do Rio de Janeiro, na Av. Rio Branco, nº 124, sala 1102, parte, Centro, Estado do Rio de Janeiro, podendo abrir filiais ou escritórios em outras cidades ou unidades da Federação, bem como no exterior.
  2. O prazo de duração da BrOffice.org é indeterminado.

CAPÍTULO TERCEIRO

Dos Objetivos

  1. A BrOffice.org tem por finalidade apoiar e desenvolver ações para fomentar as comunidades brasileiras do OpenOffice.org e de software livre, objetivando a elevação e manutenção da qualidade de vida do ser humano, através das atividades de educação profissional, capacitação para o desenvolvimento e disseminação do conhecimento.
Parágrafo Primeiro – Para a consecução de suas finalidades, a BrOffice.org poderá sugerir, promover, colaborar, coordenar ou executar ações e projetos visando:

I – difusão do Software Livre e de Código Aberto;
II – certificação de profissionais e empresas com a finalidade de atestar ao mercado a qualidade destes;
III – promoção de apoio à comunidade brasileira do OpenOffice.org incentivando a sua qualificação profissional e econômica;
IV – execução de atividade de promoção do projeto OpenOffice.org e de projetos relacionados;
V – preservação, defesa e conservação do conhecimento gerado pela comunidade do OpenOffice.org e seus projetos correlatos;
VI – promoção do voluntariado, de criação de estágios e colocação de treinandos no mercado de trabalho;
VII – apoio empresarial à comunidade do OpenOffice.org e projetos relacionados;
VIII – promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da democracia e de outros valores universais, e combate a qualquer forma de discriminação religiosa, econômica, sexual e racial.
IX – execução e promoção de estudos, pesquisas, desenvolvimento de novas tecnologias e tecnologias alternativas, realização de eventos, produção e divulgação de conhecimentos técnicos e científicos relacionados às atividades supra mencionadas.
Parágrafo Segundo – A dedicação às atividades acima previstas configura-se mediante a execução direta de projetos, programas, planos de ações correlatas, por meio de recursos físicos, humanos e financeiros, ou ainda pela prestação de serviços intermediários de apoio a outras organizações sem fins lucrativos e a órgãos do setor público e privado que atuem em áreas afins.
Parágrafo Terceiro – para atender as finalidades mencionadas neste artigo, a BrOffice.org poderá celebrar convênios e/ou parcerias com órgãos públicos e/ou entidades privadas.
  1. A BrOffice.org não se envolverá em questões religiosas, político-partidárias, ou em quaisquer outras que não se coadunem com seus objetivos institucionais.

CAPÍTULO QUARTO

Dos Associados, Seus Direitos e Deveres

  1. A BrOffice.org é constituída por número ilimitado de associados, os quais serão divididos nas seguintes categorias: fundadores, efetivos e beneméritos.
  2. São associados fundadores as pessoas físicas, sem impedimento legal, que assinaram os atos constitutivos da entidade.

  3. São associados efetivos pessoas físicas, sem impedimento legal, que venham a contribuir na execução de projetos e na realização dos objetivos da BrOffice.org e outros que venham a ser admitidos nos termos do Artigo 10, Parágrafo Único, do presente Estatuto.
  4. São associados beneméritos aquelas pessoas físicas que se destacaram por trabalhos que se coadunem com os objetivos dessa Associação e que, por mérito, tempo de colaboração ou algum outro motivo admitido pela Assembleia Geral recebam a isenção de colaboração financeira, mantendo, no entanto, o vínculo com a BrOffice.org com os mesmo direitos que os associados efetivos.
  5. Os associados, qualquer que seja sua categoria, não respondem individual, solidária ou subsidiariamente pelas obrigações da BrOffice.org, nem pelos atos praticados pelo Presidente da BrOffice.org ou pelos Diretores Executivo e Financeiro, salvo quando participando de atividades associativas como os Conselhos, Direção ou projetos oficiais da associação.
Parágrafo Único – A admissão de novos associados, de qualquer categoria será proposta por associado(s), decidida pelo Presidente da BrOffice.org, e ratificada pelo Conselho de Administração.
  1. São direitos dos associados:

I – participar das atividades associativas, de acordo com sua categoria de associado;
II – propor a criação e tomar parte em comissões e grupos de trabalho, quando designados para estas funções;
III – apresentar propostas, programas e projetos de ação para a BrOffice.org;
IV – ter acesso a todos os livros de natureza contábil e financeira, bem como a todos os planos, relatórios, prestações de contas e resultados de auditoria independente;
V – apresentar propostas para admissão de novos associados.
Parágrafo Único – Os direitos sociais previstos neste Estatuto são pessoais e intransferíveis.
  1. São deveres dos associados:
I – observar o Estatuto, regulamentos, regimentos, deliberações e resoluções dos órgãos da BrOffice.org;
II – cooperar para o desenvolvimento e maior prestígio da BrOffice.org e difundir seus objetivos e ações;

III – contribuir financeiramente com a BrOffice.org, pagando o valor mínimo fixado pela Assembleia Geral, exceto no caso de associados beneméritos;

Parágrafo Único – serão suspensos os direitos do associado que atrasar por mais de sessenta (60) dias do pagamento de quaisquer contribuições devido a BrOffice.org, cessando a suspensão tão logo seja cumprida a sua obrigação, não sendo aplicável tal disposição a associados beneméritos.
  1. Considera-se falta grave, passível de exclusão, provocar ou causar prejuízo moral ou material para a BrOffice.org.

  2. A exclusão do associado se dará:

I – por incapacidade civil não suprida;

II – por deixar de atender aos requisitos estatutários de ingresso e permanência na entidade;
III – por vontade própria.

Parágrafo Primeiro – A exclusão do associado se dará por decisão do Presidente da BrOffice.org ratificada pelo Conselho de Administração, ou por deliberação da maioria simples da Assembleia Geral expressamente convocada para esta finalidade ficando assegurado o direito a ampla defesa, de acordo com o Artigo 57 do Código Civil.

Parágrafo Segundo – Nenhum associado poderá ser impedido de exercer direito ou função que lhe tenham sido legitimamente conferidos, a não ser nos casos e pela forma prevista na lei ou no estatuto.

CAPÍTULO QUINTO

Da Assembleia Geral

  1. A Assembleia Geral é o órgão máximo da associação, e é constituída pelos associados fundadores, efetivos, e beneméritos da BrOffice.org.
  2. A Assembleia Geral poderá convidar observadores a participar das discussões na lista de discussões da associação e outras comunicações internas. Observadores podem oferecer suas opiniões, mas não tem direito a voto e não podem prejudicar votações.
  3. Todas as comunicações da associação marcadas como confidenciais, de acordo com determinação ou diretriz do Conselho de Administração ou com decisão do Presidente da BrOffice.org, não devem ser divulgadas por associados ou observadores para terceiros, salvo por determinação do Ministério da Justiça, de acordo com Art. 17 da Lei 9.790. Na ausência de indicação de confidencialidade, membros e observadores, atuais ou futuros, terão acesso permitido a informações ou comunicações confidenciais durante e após seu relacionamento com a BrOffice.org.
  4. A Assembleia Geral reunir-se-á extraordinariamente sempre que necessário, e ordinariamente 1 (uma) vez por ano, para deliberar sobre os seguintes temas:
I – apreciação e aprovação do Balanço Anual e demais relatórios financeiros do exercício anterior, e o Orçamento e Plano Anual de Trabalho para o novo exercício;
II – nomeação ou destituição dos membros dos Conselhos de Administração e Fiscal;
III – deliberar sobre reforma e alterações do Estatuto;
IV – deliberar sobre a extinção da associação e a destinação do patrimônio social;
V – deliberar sobre casos omissos e não previstos neste Estatuto.
  1. A Assembleia Geral será convocada pelo Presidente da BrOffice.org, pelo Conselho de Administração ou por pelo menos 1/5 (um quinto) dos associados fundadores e efetivos, podendo a convocação ser mediante carta assinada ou por e-mail assinado digitalmente.

    Parágrafo Primeiro – A convocação da Assembleia Geral, ordinária ou extraordinária, dar-se-á através de carta registrada endereçada a todos os associados, ou pelo portado do projeto (http://www.broffice.org), ou por e-mail, sempre com antecedência mínima de 15 (quinze) dias úteis.

    Parágrafo Segundo – Assembleias ordinárias deverão ser presenciais, e as extraordinárias poderão ser também por meio virtual, informada na convocação.

    Parágrafo Terceiro – As comunicações eletrônicas de votos em Assembleias assinadas digitalmente com ou sem assinatura certificada pela estrutura credenciada pela ICP-Brasil serão aceitas para todos os fins e efeitos como documentos nos termos do art. 10, parágrafos 1o. ou 2o., conforme o caso, da Medida Provisória 2.200-2.

    Parágrafo Quarto – Um dos associados poderá receber procuração dos demais para imprimir e/ou “converter” em papel os arquivos eletrônicos dos votos dos associados, de forma a dar entrada como tal no Registro Civil de Pessoas Jurídicas, caso necessário;

  2. O quorum mínimo exigido para a instalação da Assembleia Geral é de metade dos associados com direito a voto para a primeira chamada, e pelo menos a 1/5 dos associados com direito a voto para a segunda chamada, feita não antes de 30 minutos após a data e hora da primeira chamada.

CAPÍTULO SEXTO

Da Administração

  1. A BrOffice.org será administrada pela Diretoria e pelo Conselho de Administração. O Conselho de Administração será eleito pela Assembleia Geral, e nomeará o Presidente da associação. Este último nomeará ou contratará, com ratificação pelo Conselho de Administração, o Diretor Financeiro e o Diretor Executivo.
  2. O Presidente da BrOffice.org terá as seguintes atribuições, que deverá desempenhar sempre visando imprimir adequada operacionalidade às atividades da associação:

I – coordenar e dirigir as atividades gerais específicas da BrOffice.org;
II – celebrar convênios e realizar a filiação da BrOffice.org a instituições ou organizações;
III – representar a BrOffice.org em eventos, campanhas e reuniões, e demais atividades do interesse da associação, ou indicar um associado;
IV – encaminhar anualmente ao Conselho Fiscal relatórios de atividades e demonstrativos contábeis das despesas administrativas e de projetos; bem como os pareceres de Auditores Independentes sobre os balancetes e balanço anual;
V – Contratar, nomear, licenciar, suspender e demitir funcionários administrativos e técnicos da BrOffice.org.
VI – Elaborar e submeter ao Conselho Fiscal o Orçamento e Plano de Trabalho Anuais;
VII – Propor à Assembleia Geral reformas ou alterações do presente Estatuto;
VIII – Propor à Assembléia Geral a fusão, incorporação e extinção da BrOffice.org, observando-se o presente Estatuto quanto ao destino de seu patrimônio;
IX – Adquirir, alienar ou gravar os bens imóveis da Associação, mediante autorização expressa da Assembleia Geral;
X – Elaborar o Regimento Interno e o Organograma Funcional da BrOffice.org, e submetê-lo à apreciação e aprovação do Conselho de Administração;
XI – Representar a associação em juízo ou fora dele, ativa e passivamente, bem como perante terceiros em geral, podendo nomear procuradores em nome da associação, com poderes específicos e mandato com prazo determinado, o qual nunca ultrapassará a data de extinção do mandato do Presidente que outorgou a procuração;
XII – Exercer outras atribuições inerentes ao cargo, e não previstas expressamente neste estatuto.
Parágrafo Único – É vedado ao Presidente praticar atos de liberalidade às custas da BrOffice.org ou quaisquer atos estranhos às finalidades sociais.
  1. A administração financeira da associação ficará a cargo do Diretor Financeiro, o qual terá as seguintes atribuições:
    1. Abrir e fechar contas bancárias;
    2. Tratar com empresas de contabilidade;
    3. Negociar com bancos, na forma prevista neste Estatuto;
    4. Assinar cheques;
    5. Reportar a situação financeira da associação aos demais associados com rapidez, transparência e exatidão.
Parágrafo Único – As emissões de cheques e outras movimentações bancárias poderão ser realizadas pelo Diretor Financeiro ou pelo Presidente da BrOffice.org desde que haja aprovação de ambos para a emissão de cheques acima de determinado limite de valor de alçada financeira a ser definido, por maioria simples, na reunião ordinária da Assembleia Geral que aprovar o presente Estatuto.

Art. 23-A – A administração executiva da associação ficará a cargo do Diretor Executivo, o qual terá as seguintes atribuições:

I – Convocar reuniões do Conselho de Administração na ausência do Presidente da BrOffice.org, nos termos do Artigo 24 do presente Estatuto;

II – Substituir interinamente o Presidente da BrOffice.org na sua ausência ou na vacância do cargo;

III – Celebrar convênios e realizar a filiação da BrOffice.org a instituições ou organizações na ausência do Presidente da BrOffice.org;

IV – Representar a BrOffice.org em eventos, campanhas e reuniões, e demais atividades do interesse da associação;

V – Contratar, nomear, licenciar, suspender e demitir funcionários administrativos e técnicos da BrOffice.org na ausência do Presidente da BrOffice.org;

VI – Exercer outras atribuições inerentes ao cargo não previstas expressamente neste Estatuto.

 

CAPÍTULO SÉTIMO

Do Conselho de Administração

  1. O Conselho de Administração será composto de no máximo sete (07) membros, todos devendo ser associados da BrOffice.org, com mandato de dois (02) anos, e reunir-se-á sempre que convocado pelo Presidente do Conselho de Administração, por membros representados mais da metade de sua composição, ou pelo Presidente da BrOffice.org ou, na ausência deste, pelo Diretor Executivo ou pelo Diretor Financeiro. O Conselho de Administração terá as seguintes atribuições:

I Nomear e empossar o Presidente da BrOffice.org;
II – Ratificar a nomeação ou contratação do Diretor Executivo e do Diretor Financeiro;
III – Propor à Assembleia Geral membros para composição do Conselho Fiscal;

IV – Convocar a Assembleia Geral, nos termos do Artigo 19 deste Estatuto;

V – Ratificar a admissão de novos associados, de qualquer categoria, sendo que a proposta deverá ser apresentada por um associado da BrOffice.org;

VI – Ratificar a decisão sobre a exclusão de associados;

VII – Determinar, ou baixar diretriz orientando, quais comunicações da associação deverão ser marcadas como confidenciais;

VIII – Apreciar e aprovar o Regimento Interno e o Organograma Funcional da BrOffice.org;

IX – Ratificar a decisão sobre devolução de qualquer tipo de doação ou subvenção nos termos do Artigo 29, Parágrafo Único deste Estatuto;

X – Exercer outras atribuições inerentes à sua natureza, não previstas expressamente neste Estatuto.

Parágrafo Primeiro – Os membros do Conselho de Administração elegerão por maioria simples o seu Presidente, que será um de seus membros e ficará encarregado da coordenação dos trabalhos.
Parágrafo Segundo – As deliberações e pareceres do Conselho de Administração serão tomadas por maioria simples, cabendo ao seu Presidente o voto de qualidade.

 

CAPÍTULO OITAVO

Do Conselho Fiscal

  1. O Conselho Fiscal será o órgão fiscalizador da administração contábil financeira da BrOffice.org, e será composto de três associados, de reconhecida idoneidade técnica e comercial.
  2. Os membros do Conselho Fiscal serão nomeados pela Assembleia Geral, nos termos do Artigo 18, inciso II deste Estatuto.
  3. Compete ao Conselho Fiscal as seguintes atribuições:

I – Emitir parecer formal sobre os relatórios e demonstrações contábil-financeiras da BrOffice.org, formulando as ressalvas que julgar necessárias;
II – Opinar sobre qualquer matéria que envolva o patrimônio da BrOffice.org, sempre que necessário;
III – Comparecer, quando convocados, às Assembleias Gerais, para esclarecer seus pareceres, quando assim os associados julgarem necessário;
IV – Opinar sobre a dissolução e liquidação da BrOffice.org;

V – Contratar auditores Externos, em caráter complementar.

Parágrafo Primeiro – Os membros do Conselho Fiscal elegerão, por maioria simples, o seu Presidente, que será um de seus membros e ficará encarregado da coordenação dos trabalhos.
Parágrafo Segundo – O Conselho Fiscal deliberará por maioria simples, cabendo ao seu Presidente o voto de qualidade.

 

CAPÍTULO NONO

Do Patrimônio

  1. O patrimônio da BrOffice.org será constituído por doações de pessoas físicas e/ou jurídicas, de direito público ou privado, nacionais e estrangeiras, bem como receitas de prestações de serviços, aplicações financeiras, e outras.
  2. A BrOffice.org não distribuirá qualquer parcela de seu patrimônio ou de suas receitas a título de lucro ou participação dos resultados sociais.

Parágrafo Único – A BrOffice.org reservar-se ao direito de devolver qualquer tipo de doação ou subvenção conforme a decisão do Conselho de Administração que tomará a decisão por maioria simples.

 

CAPÍTULO DÉCIMO

Do Regime Financeiro

  1. O exercício financeiro da BrOffice.org encerrar-se-á no dia 31 de dezembro de cada ano.

  2. As demonstrações contábeis anuais serão encaminhadas dentro dos primeiros noventa (90) dias do ano seguinte à Assembleia Geral, para análise e aprovação.

 

CAPÍTULO DÉCIMO PRIMEIRO

Da Qualificação da BrOffice.org Como Organização da Sociedade Civil de Interesse Público de Acordo Com a Lei nº 9.790, de 23 de Março de 1999

  1. A BrOffice.org não distribuirá, entre seus associados, conselheiros, diretores, empregados ou doadores, eventuais excedentes operacionais, brutos ou líquidos, dividendos, bonificações, participações ou parcelas do seu patrimônio.
  2. A BrOffice.org aplicará integralmente suas rendas, recursos e eventual resultado operacional na manutenção e desenvolvimento dos objetivos institucionais.

  3. No caso de dissolução, aprovada a extinção pela Assembleia Geral, convocada especialmente para este fim, nos termos do Artigo 18, item IV, proceder-se-á o levantamento do seu patrimônio, que obrigatoriamente será destinado a outras instituições legalmente constituídas, qualificadas como organização da sociedade civil de interesse público e sem fins lucrativos, que tenham objetivos sociais semelhantes.
  4. A BrOffice.org em observância dos princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência, adotará práticas de gestão administrativa necessárias e suficientes para coibir a obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios ou vantagens pessoais em decorrência da participação no respectivo processo decisório ou de execussão.
  5. O Conselho Fiscal terá competência para opinar sobre os relatórios de desempenho financeiro e contábil, e sobre as operações patrimoniais realizadas, emitindo pareceres para a Assembleia Geral e para o Conselho e Administração.

  6. Na hipótese de a BrOffice.org perder a qualificação instituída pela Lei nº 9.790, de 23 de março de 1999, o respectivo acervo patrimonial disponível, adquirido com recursos públicos durante o período em que perdurou aquela qualificação, será transferido a outra pessoa jurídica qualificada nos termos desta Lei, e que preferencialmente tenha o mesmo objeto social.

  7. Haverá a possibilidade de se instituir remuneração para os dirigentes da entidade que atuem efetivamente na gestão executiva e para aqueles que a ela prestam serviços específicos, respeitados, em ambos os casos, os valores praticados pelo mercado, na região correspondente a sua área de atuação.

  8. A BrOffice.org observará as normas de prestação de contas, que determinarão, no mínimo:

I – a observância dos princípios fundamentais de contabilidade e das Normas Brasileiras de Contabilidade;
II – que se dê publicidade por qualquer meio eficaz, no encerramento do exercício fiscal, ao relatório de atividades e das demonstrações financeiras da entidade, incluindo-se as certidões negativas de débitos junto ao INSS e ao FGTS, colocando-os à disposição para exame de qualquer cidadão;
III – a realização de auditoria (inclusive por auditores externos independentes se for o caso) sobre a aplicação de eventuais recursos provenientes de termos de parceria com entidades públicas e privadas, conforme previsto em regulamento;
IV – a prestação de contas de todos os recursos e bens de origem pública recebidos será feita conforme determina o parágrafo único do art. 70 da Constituição Federal.
  1. É vedada à BrOffice.org a participação em campanhas de interesse político-partidário ou eleitorais, sob quaisquer meios ou formas.

 

CAPÍTULO DÉCIMO SEGUNDO

Das Disposições Gerais

  1. É expressamente proibido o uso da denominação social em atos que envolvam a BrOffice.org em obrigações relativas a negócios estranhos ao seu objetivo social, especialmente a prestação de avais, endossos, fianças e caução de favor.

  2. A BrOffice.org – Projeto Brasil será dissolvida por decisão da Assembleia Geral, especialmente convocada para esse fim, quando se tornar impossível a continuação de suas atividades.

Rio de Janeiro, 22 de junho de 2009

BrOffice.org 3.2 nas nuvens?

Por Scott Gilbertson (http://search.theregister.co.uk/?author=Scott%20Gilbertson)
Tradução e Adaptação: Clóvis Tristão (tclovis@gmail.com)

O BrOffice.org 3.2 – agora já disponível para Windows, Mac e GNU/Linux, possui uma inicialização bem mais rápida. Mas a grande notícia é que agora – finalmente – esta suíte de código aberto oferece total compatibilidade com arquivos criados usando o Microsoft Office 2007.
Se você já tentou abrir ou converter .docx e outros formatos da suite Microsoft Office 2007 fora do Office 2007, provavelmente já quebrou a cabeça várias vezes para baixar plug-ins ou lutando com serviços de conversão online.
Isso é coisa do passado, com o Broffice.org 3.2, que suporta todos os formatos do Office 2007. Mas o processo de conversão ainda não está totalmente perfeito, especialmente se você está tentando formatações específicas de documentos, ou no meu teste, planilhas com células e equações complicadas.
Naturalmente, é difícil ficar muito animado sobre as novas ferramentas de conversão, uma vez que elas chegam três anos após o Office 2007 chegar às prateleiras. Se a sua empresa tinha uma necessidade de missão crítica para trabalhar com os formatos da Microsoft, vamos esperar que você não esteja prendendo a respiração ao receber o BrOffice.org 3.2.
Temos que dar credibilidade a um projeto de código aberto, que em um curto período de três anos fez engenharia reversa de um formato de documento mais ou menos inventada, para tornar a sua vida mais descomplicada.
No suporte a documentos, a nova versão do BrOffice.org possui melhor compatibilidade com as normas do Open Document Format (ODF) 1.2, bem como a capacidade de abrir documentos protegidos por senha do MS-Word, MS-Excel e MS-PowerPoint.
Dado que a próxima versão do Microsoft Office 2010 oferecerá suporte para arquivos no formato ODF, o BrOffice.org, já atendeu a integração com o Office da Microsoft no futuro.
A mais recente versão do BrOffice.org não “briga” apenas no campo dos formatos de documentos, mas faz uma atualização considerável na velocidade de inicialização do aplicativo, tornando-o mais rápido no carregamento e utilização.
Confesso que ficou tão rápido, que eu não tive tempo para pegar uma xícara de café fresco quando solicitei a carga do aplicativo. Dei um duplo clique no ícone e a suíte de escritório já estava pronta para ser utilizada. Fantástico! Além disso, eu encontrei a maioria das aplicações, que em outras versões eram um pouco confusas no geral. A única exceção parece ser a aplicação de banco de dados, que continua um pouco lenta na abertura de grande volume de dados em um Banco de Dados.

Pausa para reflexão

No entanto, o que é talvez mais significativo sobre esta versão não tem nada a ver com as melhorias na aplicação. Pelo contrário, esta deve ser a última versão a ser liberada, antes da mudança do OpenOffice.org para o domínio da Oracle, que finalmente fechou a compra da Sun Microsystems.
A Oracle comprometeu-se a continuar o OpenOffice.org e tem planos para manter a equipe inteira da Sun trabalhando com o OpenOffice.org como uma unidade de negócios independente. Naturalmente que a Oracle vê claramente a suíte de escritório online como o futuro, e planeja lançar Oracle Cloud Office em algum momento. Isso significa que o OpenOffice.org pode sofrer algum tipo de desatenção? Ninguém sabe.
Seria bom ver a Oracle fazer para OpenOffice.org o que a Microsoft está tentando fazer pela sua suíte de escritório, integrá-la em um componente on-line, mas fazê-lo sem criar um bloqueio maciço aos fornecedores da computação em nuvem.
Podemos apontar que o futuro da suíte de escritório poderá ser toda on-line, algo como Google Docs ou Zoho, um dia pode se tornar uma regra. Armazenar um documento na nuvem é muito bom e interessante, experimente editar este mesmo documento em um navegador, tenha certeza que a tarefa não será tão agradável ou prazerosa, como em um software dedicado.
Se o Oracle puder fornecer uma ferramenta em primeira mão, que possa usar a suite de escritório on-line, terá definitivamente encontrado algo que abalará as estruturas da Microsoft em ferramentas de produtividade empresarial.
Isso é o que estarei buscando nas novas versões do BrOffice.org.

Fonte: http://www.theregister.co.uk/2010/02/13/openoffice_review/

Controle de Qualidade

O projeto de Controle de Qualidade visa garantir a funcionalidade de cada versão lançada e a melhoria gradual do produto. A estabilização de tal projeto no BrOffice.org trará diversos benefícios. Dentre eles, as versões devem passar a ser lançadas logo após a versão em inglês.

Quanto mais ajuda que tenhamos da comunidade, maior o sucesso para o BrOffice.org como um todo.

A comunidade pode ajudar no projeto reportando os defeitos encontrados durante a utilização do BrOffice.org e as melhorias desejadas. Para isto fazemos uso de um sistema de controle de bilhetes chamado ‘Trac’.

Usando o Trac – sistema de controle de bilhetes

Visão geral do sistema

São utilizados bilhetes tanto para defeitos quanto melhorias. Cada bilhete possui as informações pertinentes, além de poder ter comentários adicionados e a evolução acompanhada.
Antes de submeter um novo bilhete, é aconselhável procurar para verificar se já não existe um semelhante. A consulta aos já cadastrados pode ser feita em https://broffice.org/sobre.
Estamos, no momento, com uma conta ‘convidado’, senha ‘convidado’ para que a comunidade possa usar o Trac, infelizmente o cadastro não está liberado por motivos de spam. Leia a respectiva seção abaixo mara maiores informações de como proceder.

Reportando defeitos

Para reportar defeitos, é importante colocar uma descrição detalhada, se possível um passo a passo de como reproduzir a falha. Os campos referentes à versão do BrOffice.org que se está usando, o componente no qual a falha ocorreu, além da descrição e de um breve resumo que o descreva.
Um bom exemplo de resumo é:
“inserir gráficos não funciona corretamente”
um mau exemplo seria:
“problemas com gráficos” ou “erro!”.

Reportando melhorias

Para sugerir uma melhoria, basta indicar qual o componente na qual ela se encaixe, além de fornecer o sumário e uma descrição, o mais detalhada possível, sobre ela.
Caso seja uma comparação com outro programa, de qualquer forma é bom que a descreva ao invés de somente mencionar, pois muitos podem não conhecer esta determinada característica.

Ajudando com os testes

No processo de liberar uma nova versão, temos duas baterias de testes: uma de testes automatizados e outra de testes manuais. Os testes manuais são os que demandam um número maior de usuários colaborando.

Testes manuais

Seguem uma estrutura rígida, com casos especificados, contemplando o uso cotidiano do programa. A ênfase deles atualmente é em localização, isto é, verificar que os diálogos exibidos são corretos, estão traduzidos, etc. São testes bem simples e rápidos, podendo ser feitos por pessoas com pouca experiência. Sinta-se tentado a obter maiores informações sobre os testes de localização e participar, se possível.

Testes automatizados

Substituem grande parte dos testes que antigamente eram feitos manualmente. Eles simulam desde o registro inicial do programa, salvar e abrir vários tipos de arquivos até inserção de imagens. Precisam rodar apenas uma vez por semana, em todas as plataformas suportadas. A duração deles é de aproximadamente 15 horas e o computador, ou máquina virtual, não deve ser usado para outros fins. Caso tenha disponibilidade, interesse em ajudar ou queira saber mais informações, consulte nossa página na wiki sobre a ferramenta utilizada, o TestTool.

Coordenação

Caio Tiago Oliveira

Contato

Caso se interesse e deseje colaborar com os testes, entre em contato através do email AQUI.

Palestrantes | 2º Encontro Nacional do BrOffice.org

Palestrantes

Conheça um pouco mais sobre nossos palestrantes.

Claudemir Ivan – Prodam – Manaus/AM
Analista de sistemas especialista em desenvolvimento de sistemas utilizando software livre. Trabalha na área de informática há 19 anos. Desde 2001 tem se dedicado aos estudos de lingüística e software livre.
Claudio F Filho – OpenOffice.org/BrOffice.org – Cuiabá/MT
Graduado em Sistemas de Informação, trabalha com TI desde 1988, e com Linux desde 1994. No mundo do software livre, iniciou em 2001 com a localização do OpenOffice.org para o português do Brasil, e criou as comunidades brasileiras do PostgreSQL e Mozilla. Atualmente, trabalha na Secretaria de Fazenda de Estado do Mato Grosso.
Suso Baleato – Mancomun.org – Galícia/Espanha
Nasceu na Alemanha em 1974. Coordenador do Mancomun.org, a Iniciativa Galega pelo Software Livre, promovida pela Direção Geral de Promoção Industrial e da Sociedade da Informação, Conselho de Inovação e Indústria do Governo da Galícia. De formação interdisciplinar, atribuiu-lhe a publicação do primeiro blog em língua romance e a fundação de distintos projetos de comunicação social na rede.
John McCreesh – OpenOffice.org – Escócia/Reino Unido
Ocupou diversos cargos como gerente senior de tecnologia da informação em empresas fabricantes de chips como Motorola, Grupo Forbo e o grupo RBS. Em seu tempo livre, John também contribuiu em diversos projetos de código aberto, tendo criado o phpMyEdit em 2000 até se tornar Líder do Projeto de Marketing do OpenOffice em 2006. John escreve sobre TI e outras questões tanto para a mídia impressa quanto online. Seu apoio à comunidade de código aberto se alinha com seus outros interesses não relacionados a TI, como sustentabilidade e sistemas economicos justos.
Jomar Silva – ODF Alliance – São Paulo/SP
Jomar Silva é engenheiro eletrônico, pós graduado em gestão de projetos e desenvolvimento de sistemas e é o Diretor Geral da ODF Alliance Chapter Brasil. Atua no mercado de TI desde 1996, com ênfase no desenvolvimento de software em projetos de Pesquisa e Desenvolvimento para empresas do setor de Telecomunicações e Tecnologia da Informação. Atua ainda como “advisor” em padrões abertos junto a indústria de software.
Marcos Mazoni – SERPRO – Brasília/DF
Mazoni é um dos precursores dos sistemas de informática em softwares livres no Brasil, tendo coordenado o I Fórum Internacional de Software Livre realizado em Porto Alegre em 2000; também é membro do Conselho de Administração da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepa).
Na Celepar, Mazoni foi responsável por inúmeros avanços que mudaram o perfil da Empresa, entre eles, a adoção do Programa de Software Livre que possibilitou o desenvolvimento de soluções e produtos inovadores para os órgãos de Governo, e atualmente é Diretor-Presidente do SERPRO.
Michael Bemmer – Sun Microsystem – Hamburgo/Alemanha
Michael Bemmer é diretor na Sun Microsystems, responsável pela Engenharia do OpenOffice.org/StarOffice, o qual está alocado em Hamburgo/Alemanha. Ele trabalhou para a StarDivision, respectivamente à Sun 12 anos atrás. Ele fez Mestrado em Engenharia Mecânica pela Universidade Técnica de Hamburg-Harburg.
Roberto Salomon – IBM – Brasília/DF
Engenheiro de Software pelo Georgia Institute of Technology – GeorgiaTec. É Arquiteto de Software Sênior para a IBM do Brasil atendendo primariamente o setor SMB para as regiões Centro Oeste, Norte e Nordeste. Usuário e membro da comunidade OpenOffice.org desde o seu anúncio em 2001, foi co-lead do l10n pt-BR e hoje é membro do conselho da ONG BrOffice.org – Projeto Brasil.

Concurso Dicas BrOo – Melhores dicas do BrOffice.org

Regulamento

banner concurso dicas

  1. O concurso Dicas BrOo é um concurso cultural, promovido pela BrOffice.org – Projeto Brasil, destinado a todas as pessoas físicas interessadas no projeto de desenvolvimento da suite de escritório aberta, BrOffice.org e cadastradas nas listas de discussão do GUBRO – Grupo de usuários do BrOffice.org de seus respectivos estados.
  2. A participação neste concurso não está vinculada à compra ou aquisição de qualquer produto ou serviço encontrando-se de acordo com o Art. 30 do Decreto nº 70.951/72.
  3. Para participar no concurso Dicas BrOo, o interessado deve enviar e-mail para concurso_em_broffice.org contendo:
    • Nome completo do autor;
    • E-mail;
    • Telefone com ddd;
    • Endereço;
    • Identificação da modalidade da dica;
    • Texto da dica.
  4. As dicas enviadas poderão consistir em tutoriais ou dicas rápidas, e deverão se enquadrar em uma das seguintes categorias:
    • Base;
    • Calc;
    • Draw;
    • Impress;
    • Math
    • Writer.
  5. Somente serão aceitas dicas que tenham sido enviadas até as 23:59 do dia 30 de junho de 2007.
  6. Ao submeter a dica para o concurso, o autor concorda em ceder os direitos de publicação da mesma à ONG BrOffice.org – Projeto Brasil, que se compromete a publicar trabalhos sob licenciamento Creative Commons (CC), com as devidas adequações de acordo com a mídia utilizada, sempre respeitando a autoria dos trabalhos.
  7. A avaliação e classificação das dicas apresentadas será realizada por um grupo formado pelos coordenadores e líderes dos GUBROS (Grupo de Usuários do BrOffice.org) e será realizada entre os dias 30 de junho e 25 de julho de 2007. O grupo avaliará as dicas apresentadas segundo critérios de usabilidade, originalidade e eficiência da dica.
  8. Perderá o direito ao prêmio aquele que tenha prestado informações incompletas ou inverídicas, ou que não permita identificar o autor da mesma dica.
  9. A participação neste concurso implica na aceitação total de todos os itens deste regulamento.
  10. A premiação:
    • Veiculação do nome do autor no portal do BrOffice.org com agradecimentos;
    • Um livro da Editora Brasport, autografado pelo autor, à escolha do
      premiado.

Brasport - Patrocinadora Oficial

Extinção da Associação BrOffice.org – Projeto Brasil

Em Assembleia Geral Ordinária da BrOffice.org – Projeto Brasil, os associados presentes decidiram por unanimidade pela extinção da ONG, na forma da lei, até maio de 2011, entendendo ser este um passo importante para a continuidade e soberania da comunidade, do projeto e do produto.

Esta é uma oportunidade de renovação e crescimento das comunidades e, no entendimento pessoal de cada um dos associados, é o momento de alinhar os esforços da comunidade brasileira ao projeto internacional LibreOffice, incluindo a substituição do nome “BrOffice” por “LibreOffice” no Brasil. Os associados reiteram seus votos de confiança na comunidade brasileira e no contínuo crescimento do produto em nosso País.

Subscrevemo-nos:
Carlos Eduardo de Medeiros Braguini, Claudio Ferreira Filho, David Emmerich Jourdain, Eliane Domingos de Sousa, Felipe Augusto Van de Wiel, Gustavo Buzzatti Pacheco, Gustavo Celso de Queiroz Mazzariol, Leonardo Henrique Cezar, Noelson Alves Duarte, Olga Massako Yamadera, Olivier Henri Philippe Hallot, Rubens Queiroz de Almeida, Sandra Regina Marques de Barros Martins, Sincero Zeferino Filho, Vera Lucia Cavalcante Pereira

Escritório Aberto

Logo

Modelos de arquivos para BrOffice, totalmente gratuitos, prontos para usar e excelentes para o aprendizado. Baixe já.

DicasFale conosco

”Que não tenhamos medo do trabalho e que nos venha a boa sorte”.

Dica importante:

Usuários da plataforma Windows devem ler este tutorial, oferecido pelo Sr. Gilmar Amaral. Antes de utilizar dos arquivos:
Arquivos Open Document, no WinXP


Para participar do Escritório Aberto:

  • 1 Basta se orientar pela página Adição de Licença;
  • 2 Adicionar a licença ao arquivo;
  • 3 Enviar para: escritorioaberto_em_broffice.org
  • 4 Pronto! Será disponibilizado imediatamente no site.

 


Sobre o Escritório Aberto:

O Projeto Escritório Aberto tem como objetivo fornecer arquivos para o BrOffice.org. Assim, futuros usuários contarão com aplicações práticas para demonstração dos diversos usos do BrOffice.org por meio de exemplos utilizáveis. Desse modo, aqueles que estiverem no início de um aprendizado, poderão ver a teoria aplicada à realidade. Pensamos que isso facilitará muito a vida desses iniciantes, assim como a de usuários experientes, que poderão também se beneficiar desse repositório. Trata-se de arquivos de uso no cotidiano, enviados por colaboradores, o que poupa muito trabalho, pois muitos dos arquivos servem perfeitamente a nossas necessidades. Basta, para isso, baixar e usar.
Temos, hoje, a nossa sustentabilidade garantida pela contribuição de alguns colegas, principalmente da lista de discussão: Usuários Ooo, que colaboram fornecendo arquivos licenciados pela GPL. Para entender melhor o licenciamento, vá à página Adição de Licença.

 



Páginas de onde poderá baixar os modelos

Seja Bem-vindo ao Grupo de Usuários BrOffice.org Brasil

Segundo o GNU, “O Software Livre é uma questão de liberdade: as pessoas devem ser livres para usar o software de todas as maneiras que sejam socialmente úteis.” Mas será que você consegue fazer isso com o BrOffice.org?

Software livre não é apenas um modelo de software, ele é também uma forma de expressão e de vida de muitas pessoas e empresas. O modelo de Software Livre é tão bom que hoje é estimado que o OpenOffice.org (BrOffice.org) possui mais de 50 milhões de pessoas usando (http://stats.openoffice.org/) mas como fazer para participar?

Com tantas pessoas usando e querendo melhorar ainda mais o BrOffice.org a comunidade resolveu criar um modelo, já apelidado por Roberto Salomon, de GUBRO (Grupo de Usuários Broffice.org). O modelo é baseado na descentralização dos grupos por estado para que, através de um ou mais representantes estaduais possam canalizar todos os anseios e tendências do futuro do BrOffice.org.

O grupo será aberto a todos que queiram participar (mesmo não usuários), mas terá que seguir regras de educação, companheirismo e espírito colaborativo.

Dentro do Site do BrOffice cada comunidade poderá personalizar o seu site tendo endereço próprio usando o portal (exemplo: broffice.org/gubro-sp, broffice.org/gubro-rj, etc). Também poderá usar o wiki, uma ferramenta muito útil para organizar, planejar e compartilhar ações.
Será que você aceitaria este desafio de melhorar a sua ferramenta de trabalho? Esperamos que sim, pois o espaço já esta aberto para isso.

Para participar do grupo de usuários do seu Estado, visite sua página para obter as informações. Se o seu Estado ainda não possui GUBrO e você quer criá-lo, assumindo a liderança, escreva para gubro-br@listas.broffice.org e seja bem vindo.

Liderança Nacional
luizheli_em_openoffice.org