Clicky

BrOffice.org 3.2 nas nuvens?

Por Scott Gilbertson (http://search.theregister.co.uk/?author=Scott%20Gilbertson)
Tradução e Adaptação: Clóvis Tristão (tclovis@gmail.com)

O BrOffice.org 3.2 – agora já disponível para Windows, Mac e GNU/Linux, possui uma inicialização bem mais rápida. Mas a grande notícia é que agora – finalmente – esta suíte de código aberto oferece total compatibilidade com arquivos criados usando o Microsoft Office 2007.
Se você já tentou abrir ou converter .docx e outros formatos da suite Microsoft Office 2007 fora do Office 2007, provavelmente já quebrou a cabeça várias vezes para baixar plug-ins ou lutando com serviços de conversão online.
Isso é coisa do passado, com o Broffice.org 3.2, que suporta todos os formatos do Office 2007. Mas o processo de conversão ainda não está totalmente perfeito, especialmente se você está tentando formatações específicas de documentos, ou no meu teste, planilhas com células e equações complicadas.
Naturalmente, é difícil ficar muito animado sobre as novas ferramentas de conversão, uma vez que elas chegam três anos após o Office 2007 chegar às prateleiras. Se a sua empresa tinha uma necessidade de missão crítica para trabalhar com os formatos da Microsoft, vamos esperar que você não esteja prendendo a respiração ao receber o BrOffice.org 3.2.
Temos que dar credibilidade a um projeto de código aberto, que em um curto período de três anos fez engenharia reversa de um formato de documento mais ou menos inventada, para tornar a sua vida mais descomplicada.
No suporte a documentos, a nova versão do BrOffice.org possui melhor compatibilidade com as normas do Open Document Format (ODF) 1.2, bem como a capacidade de abrir documentos protegidos por senha do MS-Word, MS-Excel e MS-PowerPoint.
Dado que a próxima versão do Microsoft Office 2010 oferecerá suporte para arquivos no formato ODF, o BrOffice.org, já atendeu a integração com o Office da Microsoft no futuro.
A mais recente versão do BrOffice.org não “briga” apenas no campo dos formatos de documentos, mas faz uma atualização considerável na velocidade de inicialização do aplicativo, tornando-o mais rápido no carregamento e utilização.
Confesso que ficou tão rápido, que eu não tive tempo para pegar uma xícara de café fresco quando solicitei a carga do aplicativo. Dei um duplo clique no ícone e a suíte de escritório já estava pronta para ser utilizada. Fantástico! Além disso, eu encontrei a maioria das aplicações, que em outras versões eram um pouco confusas no geral. A única exceção parece ser a aplicação de banco de dados, que continua um pouco lenta na abertura de grande volume de dados em um Banco de Dados.

Pausa para reflexão

No entanto, o que é talvez mais significativo sobre esta versão não tem nada a ver com as melhorias na aplicação. Pelo contrário, esta deve ser a última versão a ser liberada, antes da mudança do OpenOffice.org para o domínio da Oracle, que finalmente fechou a compra da Sun Microsystems.
A Oracle comprometeu-se a continuar o OpenOffice.org e tem planos para manter a equipe inteira da Sun trabalhando com o OpenOffice.org como uma unidade de negócios independente. Naturalmente que a Oracle vê claramente a suíte de escritório online como o futuro, e planeja lançar Oracle Cloud Office em algum momento. Isso significa que o OpenOffice.org pode sofrer algum tipo de desatenção? Ninguém sabe.
Seria bom ver a Oracle fazer para OpenOffice.org o que a Microsoft está tentando fazer pela sua suíte de escritório, integrá-la em um componente on-line, mas fazê-lo sem criar um bloqueio maciço aos fornecedores da computação em nuvem.
Podemos apontar que o futuro da suíte de escritório poderá ser toda on-line, algo como Google Docs ou Zoho, um dia pode se tornar uma regra. Armazenar um documento na nuvem é muito bom e interessante, experimente editar este mesmo documento em um navegador, tenha certeza que a tarefa não será tão agradável ou prazerosa, como em um software dedicado.
Se o Oracle puder fornecer uma ferramenta em primeira mão, que possa usar a suite de escritório on-line, terá definitivamente encontrado algo que abalará as estruturas da Microsoft em ferramentas de produtividade empresarial.
Isso é o que estarei buscando nas novas versões do BrOffice.org.

Fonte: http://www.theregister.co.uk/2010/02/13/openoffice_review/

Add Comment